O Kinect é um sensor que transforma seu corpo em um controle para jogos. Com sensores de movimento aliados a uma câmera de detecção 3D, este sensor reconhece as movimentações do corpo com uma excelente precisão. O sensor apresentado pela Microsoft para o Xbox, em 2010, além de eliminar completamente a necessidade de controles, usando o próprio corpo do jogador, não precisa de ambiente iluminado, ele capta os movimentos do corpo mesmo no escuro.

O sensor de profundidade e a câmera RGB mapeiam o ambiente e detectam 48 pontos de articulação do corpo de cada jogador, mapeando inclusive os detalhes faciais. O detector de movimentos é muito preciso, identificando facilmente se uma pessoa está sentada, deitada, de pé, pulando, caminhando, e até mesmo gestos mais sutis como levantar o braço, mover os dedos, girar o pulsos, e as expressões faciais como sorrir, ficar sério, piscar os olhos, etc.

Em uma ação para Adidas, usamos o Kinect para desafiar os clientes da loja a acertar 3 chutes em quadrantes específicos de um gol digital, selecionados aleatoriamente pelo programa. O Kinect identificava a posição da bola, e confirmava se chute foi certeiro ou não, e também, calculava a velocidade dos chutes. Outros desafios bem divertidos também podem ser lançados ao público. Utilizando tecnologia kinect, o game identifica a reação dos participantes desafiando-os para brincadeiras como da piscada, do sorriso, agachamentos ou pulos dentro de um determinado tempo, etc.

A utilização desse aparelho cria possibilidades digitalmente infinitas em eventos, bastar despojar de criatividade.

A tecnologia

O Kinect foi lançado como uma tecnologia que prometia transformar a maneira como interagimos não só com os games, mas com todo o entretenimento eletrônico, da televisão ao cinema. Na época, praticamente, todos profetizavam que o dispositivo era “o futuro dos consoles”. Dez anos depois, vemos que as profecias não se confirmaram 100%. No entanto, o dispositivo foi crucial como base de desenvolvimento da identificação 3D e tecnologias de assistência virtual que em breve (muito em breve, pois já temos essas tecnologias em nossos smartphones) serão onipresentes.

O equipamento é composto basicamente de uma câmera com detecção de vídeo em RGB, um microfone multi-vetorial e sensores de profundidade 3D capazes de ler não somente os movimentos corporais das pessoas, mas também o ambiente ao seu redor, identificando objetos e ainda reconhecendo a voz e a expressão facial das pessoas.

Mais precisamente, o módulo Kinect tem cerca de 23 cm de comprimento e têm 5 recursos principais:

  • 1º - Câmera RGB (Red, Green, Blue) que permite o reconhecimento facial da pessoa que está em frente do console.
  • 2º - Sensor de profundidade (Infravermelho), que permite que o acessório escaneie o ambiente a sua volta em três dimensões.
  • 3º - Microfone embutido, que além de captar as vozes mais próximas, consegue diferenciar os ruídos externos. Dessa forma, barulhos ao fundo não atrapalham o andamento do Kinect. O microfone também é capaz de detectar várias pessoas diferentes em uma sala.
  • 4º - Próprio processador e software.
  • 5º - Detecta 48 pontos de articulação do nosso corpo, ou seja, possui uma precisão sem precedentes.

O acessório emite milhares de feixes de luz infravermelha que capturam o movimento de qualquer objeto que bloqueie estes feixes. Inclusive, com esses sensores não é necessário iluminação, o Kinect “enxerga” o ambiente mesmo no escuro. Por isso, o intenso uso do equipamento por investigadores do paranormal com a finalidade de captar a presença de espíritos e outras manifestações sobrenaturais. Inclusive o Kinect aparece no filme Atividade Paranormal 4.

A história

O Kinect (inicialmente chamado de “Projeto Natal”) foi desenvolvido pela Microsoft e apresentado ao público em 2009 para bater de frente com o Nintendo Wii, o líder de vendas mundiais daquela geração de consoles. O grande trunfo foi colocar em prática a execução de um projeto que traria para o Xbox aquilo que o Nintendo Wii começava a oferecer: uma forma diferenciada de interação. A Microsoft ousou e eliminou completamente a necessidade de controles, usando o próprio corpo do jogador para controlar os movimentos nos jogos.

Veja abaixo o primeiro vídeo que em 2009 anunciava a nova tecnologia:

Em sua pré-estreia para o mundo, realizada em uma conferência da E3 "Electronic Entertainment Expo" em 2009, o Projeto Natal da Xbox 360 (Microsoft Game Studio), encantou o público com a tamanha interação entre jogador e game.

O criador é brasileiro

Para nosso orgulho, Alex Kipman o engenheiro criador do kinect é brasileiro. Daí o nome Natal para o projeto. A Microsoft tradicionalmente usa nomes de cidades como codinomes para seus projetos. Por Alex ser brasileiro, escolheram a cidade de Natal, no Rio Grande do Norte, como homenagem ao seu país.

Além disso, ele sabia que Natal significa “nascer” em latim. Considerando o novo público que seria atraído ao Xbox 360 pela novidade, o nome encaixou perfeitamente. O brasileiro também foi o principal responsável pelo HoloLens, óculos holográficos da Microsoft.

Lançado em novembro de 2010, apenas nos dois primeiros meses de mercado o dispositivo teve nada menos do que 8 milhões de unidades comercializadas nas lojas de todo mundo. Essa façanha fez com que ele conseguisse escrever seu nome na história ao entrar para o Guinness Book - o Livro dos Recordes, como o "Gadget de maior sucesso entre os consumidores finais". Fazendo uma rápida comparação com seu rival, o Nintendo Wii demorou dois anos para chegar à marca de 10 milhões de unidades vendidas.

Assista ao vídeo que apresentava ao mundo o Kinect pronto para ser comercializado (junho de 2010):

Após o lançamento do Kinect, não demorou para surgirem os primeiros hacks (modificações que permitiam o uso do equipamento além daquele para qual foi projetado). Estudantes do MIT conseguiram fazê-lo rodar no Windows 7 e muitos pesquisados utilizaram o Kinect em projetos de robótica. Cientistas conseguiram criar uma cadeira de rodas que pode ser comandada pelo aparelho. A invenção é capaz inclusive de identificar e desviar de obstáculos. Há registros de uso em cirurgias e realização de exames. Além disso, supermercados já o utilizaram em prateleiras para mapear as áreas que atraem mais a atenção dos consumidores.

Com a evolução da Xbox Live surgiram os mais diversos aplicativos que transformaram o Xbox 360 em um equipamento longe de ser apenas um videogame. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma parceria com uma grande empresa, permite que os jogadores encomendem pizzas que eles mesmo criaram e recebam minutos depois em casa.

Na semana em que a nave Curiosity pousou em Marte (05/08/2012) os jogadores de Xbox 360 foram presenteados com um jogo exclusivo e totalmente gratuito graças a uma parceria da Microsoft com a NASA. Fazendo o uso do Kinect, o objetivo do jogador era pousar a Curiosity em Marte com segurança, seguindo várias etapas reais, simulando o mesmo trajeto que a nave percorreu. Além do jogo sobre esse momento histórico, o Xbox 360 também transmitiu o pouso em tempo real, incluindo os famosos “7 minutos de terror”, promovendo uma ação inédita no mundo dos vídeos games.

Apesar da Microsoft ter vendido mais de 35 milhões de unidades, a tecnologia falhou nos jogos (não havia muita diversidade de jogos). Além disso, para os gamers, controlar jogos por movimento não se igualava ao teclado e controles.

Em 2017, a fabricação do acessório foi encerrada, mas não foi o fim da jornada da tecnologia. A tecnologia por trás do Kinect segue viva. Sua tecnologia segue no Xbox One, foi base para desenvolver os óculos Hololens e assistente de voz Cortana, e também no sistema de identificação biométrica do Windows Hello, que quer reduzir nossa dependência de senhas.

Em 2013, a Apple com a intenção de tenta levar a tecnologia do Kinect para um público mais amplo adquiriu a PrimeSense (empresa israel que ajudou a criar o acessório da Microsoft). Hoje, dentro do entalhe superior do iPhone X está o Face ID, uma câmera infravermelha com sensores de profundidade que utiliza algoritmos parecidos com os do Kinect para mapear rostos.

Ou seja, vida longa a tecnologia Kinect!!!